|PT|

Video instalação, 2019
Monitores, papel, suportes de metal, silicone, cerâmica.

O trabalho consiste em videos que fazem uma ‘citação’ de artistas, escritoras e outras figuras públicas, quando num momento de entrevista. Pensando uma hibridização entre linguagem e corpo, o trabalho escolhe não citar o texto na sua forma escrita, mas sim fazer uma citação através da a reencenação do gesto das mãos da pessoa ao falar o trecho escolhido. Gerando videos que repetem a gesticulação das mãos ao falar. O combina uma sequência de repetições do trecho escolhido, fazendo um loop analógico, no qual cada tentativa tenta aperfeiçoar e incorporar melhor o gesto e a fala da pessoa que está sendo citada. 

Ao propor um reenquadramento dos gestos das mãos, é realizada uma dublagem do corpo descolando o discurso de seu gesto corporal. Os vídeos das reencenações são apresentados em conjunto com desenhos impressos que replicam grafias da mão que assinala e anota enquanto escreve. Essa escrita gestual sem significado explícito, atua em conjunto com os videos no desmembramento das várias manifestações corporais da linguagem verbal – oralidade, signos gestuais, grafismos – e as mostra isoladas ao ponto de, em si, reivindicarem significado que dispensa a semântica da qual originaram.

São citadas: Roberto Bolaño (2001), Chris Kraus (2006), Kathy Acker (1986), Chantal Akerman (2006), Clarice Lispector (1977), Moyra Davey (2012).

Imagens da exposição The Intolerable Straight Line, na Galerie Art & Essai, em Rennes, 2019. Fotos gerais feitas por dotagain.info


|EN|

Video installation, 2019
Screens, paper, metal supports, silicon, ceramics.

A series of videos that ‘quote’ artists, writers and other public figures when in a moment of interviews. Departing from a hybridization between body and language, the work chooses to not quote the text in its written form, but to quote through reenactment of the gesticulation of the person while speaking certain excerpt. Generating videos that repeat the hand gesture over and over, as a bodly loop, perfecting and embodying the gesture of the quoted person.

The videos reframe the hand gestures, voicing the body while shifting discourse from its bodily gesture. They are presented with a series of printed drawings that replicates handmade marks while writing. This gestural writing without explicit meaning act together with videos dismembering other gestural manifestations of verbal language, orality, gestural signs, graphism, presenting them isolated until an extent in which they claim meaning abandoning their original semantics.

Quoting from: Roberto Bolaño (2001), Chris Kraus (2006), Kathy Acker (1986), Chantal Akerman (2006), Clarice Lispector (1977), Moyra Davey (2012).

Images of The Intolerable Straight Line, at Galerie Art & Essai, Rennes, 2019. General photos made by dotagain.info

Link for interview by Fleur Mothe Bardy, Alma Oskouei and Victoria Quesnel.